Padre Júlio Lancellotti: O lado certo da História

05.02.2021 - Paolo D'Aprile

This post is also available in: Espanhol, Francês

Padre Júlio Lancellotti: O lado certo da História
(Crédito da Imagem: Reprodução Facebook)

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.

(Manuel Bandeira – O Bicho)

Máscara no rosto, marreta na mão. O velho padre não tem dúvida, sabe muito bem o que fazer. Um golpe, dois, o velho padre sabe que não vai conseguir, mesmo assim continua. O gesto em si, mil vezes superior ao resultado concreto que alcançado, carrega a humilhação de um povo inteiro, na partilha do sofrimento, do cansaço, da dor.

O prefeito da maior e mais rica cidade das Américas, em obséquio às exigências dos patrões, continua a obra na qual é especialista: produzir exclusão, “gentrificar” pessoas. A sanha de vingança, a raiva de classe, desta vez miram a população mais fraca, a mais desamparada, aquelas pessoas que por mil razões se encontram a viver ao relento, em situação de abandono e miséria. São chamados “homens de rua”. Mais de vinte e cinco mil, dizem os dados colhidos um ano antes da pandemia. De lá pra cá tivemos o desastre social e o desemprego em massa.

A estrutura precária oferecida, obriga quem procura ajuda nos albergues a se afastar em busca de solidariedade e amparo debaixo das marquises, das pontes, nos buracos cavados entre a terra e o concreto. As humilhações constantes, as ameaças, a violência e arbitrariedade da polícia e da guarda municipal, juntam-se à política institucional dos bairros centrais da cidade que, através de organização específica criada para isso, denuncia às autoridades a presença de cada indivíduo indesejável com a finalidade de afastar as pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Não importa onde vão, desde que seja longe dali. Isso provoca o típico fenômeno urbano de deslocamento sem meta, uma transumância de pessoas, pequenos grupos, famílias, arrastando com elas seus pobres pertences em busca de um novo abrigo. Com o fechamento dos banheiros públicos na parte externa das estações do metrô, as pessoas que mais precisam, se encontram totalmente desprovidas de qualquer acesso a práticas de higiene pessoal. A rua, além de moradia, se torna também banheiro.

O lixo, o chão, o cão, o cheiro… O prefeito obedece. Seus donos mandaram tirar essa gente daí. Para que ninguém mais durma naquele chão, debaixo daquele viaduto onde passa a maior avenida da cidade: a pedra encravada no asfalto do chão vai impedir que alguém possa deitar, que alguém transforme o relento em moradia, que alguém faça da rua sua casa.

O processo de “gentrificação”, comandado pela especulação imobiliária e executado pelos políticos da vez, quer reformar o espaço público para atrair o investimento empresarial. Os moradores dos bairros “requalificados”, incapazes de sustentar as despesas de aluguel cada vez mais altas, são obrigados a sair. Muitos não têm mais onde ir. A crise da moradia empurra milhares de pessoas nas ruas a ocupar calçadas e marquises com sua bagagem inesgotável de medo e desamparo.

Padre Júlio Lancellotti. | Reprodução Facebook


O velho padre, máscara no rosto, marreta na mão. Bate com força. A pedra encravada no asfalto do chão debaixo do viaduto, cede. Mais uma. Outra. A última. Quatro pedras consegue tirar o velho padre. Seu gesto de indignação contra a violência do poder que só sabe humilhar, se transforma em abraço aos desamparados da cidade, seu gesto grita a necessidade de cada ser humano: uma casa, um teto. Nem que seja o teto de um viaduto. O gesto do velho padre escancara as contradições, vira pelo avesso do avesso do avesso as certezas da cidade que diz não poder parar. O velho padre obriga todo mundo a olhar a realidade que queremos ignorar.

De máscara no rosto e marreta na mão, aí está padre Julio Lancellotti, do lado certo da História.

 

Categorias: Humanismo e Espiritualidade, Opinião
Tags: , , , , ,

Boletim diário

Digite seu endereço de e-mail para assinar o nosso serviço de notícias diárias.

Search

Whatsapp

Pressenza Whatsapp

Informe Pressenza

Informe Pressenza

Caderno de cultura

Caderno de cultura

O Princípio do fim das armas nucleares

Documentário 'RBUI, o nosso direito de viver'

Canale YouTube

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

International Campaign to Abolish Nuclear Weapons

Arquivo

xpornplease pornjk porncuze porn800 porn600 tube300 tube100 watchfreepornsex

Except where otherwise note, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.